O seu currículo é atrativo? Vejas as nossas dicas

Publicada 14/11/2017

Imagine que você está procurando candidatos para trabalhar na sua equipe e o próximo currículo da lista é o seu. Isso mesmo, você está examinando o próprio currículo. Depois de checar as informações, pense na seguinte pergunta: ele está atrativo?

Em muitos casos, começamos a buscar oportunidades no mercado de trabalho e, nessa rotina e ansiedade por uma recolocação ou mudança de emprego, esquecemos de fazer uma auto-avaliação do nosso currículo.

Que tal checar se o seu currículo está atrativo agora mesmo? Se possível, pegue um impresso ou busque o arquivo no seu e-mail e confira se ele está coerente com os tópicos abaixo. Se você está lendo este texto e não tem o currículo à disposição agora, siga com a leitura e faça as observações depois.​

 

A primeira impressão é a que fica: cuidado com a formatação, aparência e erros de português

O currículo deve estar bem formatado, com fontes tradicionais (a não ser que você seja designer gráfico ou algo parecido e queira surpreender) e em tamanho legível para impressão. Estruture a hierarquia das informações utilizando os recursos de negrito e titulação, sempre para facilitar a leitura de um recrutador.

Antes de enviar ou entregar o seu currículo para alguém, leia e releia o documento pelo menos três vezes. Se possível, peça para um familiar ou amigo revisar o texto e checar se não há erros de português ou digitação, pois tendemos a não enxergar erros em textos escritos por nós mesmos. Evite causar uma impressão de descuido e desatenção.

 

Deixe claro quem você é

O currículo é um documento ainda muito relevante na busca por novas oportunidades. E, claro, o seu dificilmente chegará às mãos de recrutadores sem a companhia de outros. Por isso, deixe claro quem você é já nas primeiras linhas para evitar ser descartado logo na primeira triagem. Comece com as suas informações pessoais e um resumo do seu perfil.​

 

Defina os seus objetivos profissionais

Quando o seu objetivo profissional é mais claro, a sua busca é mais eficiente. Você envia currículos para empresas adequadas ao seu perfil e organiza as informações de acordo com o seu interesse. Será que todo o seu passado profissional precisa estar no currículo? A resposta é 'nem sempre'.

 

Faça uma seleção das informações

Vamos supor que você quer concorrer a uma vaga de Gerente de Projetos. Provavelmente, a sua carreira já está em uma fase mais madura e você já trabalhou como analista ou coordenador em outras empresas. Será que vale a pena registrar que, aos 18 anos, você foi atendente de telemarketing e fez curso de Windows, fazendo com que o seu currículo tenha seis páginas? Ou não seria melhor destacar as informações mais relevantes para aquela vaga? Em uma segunda fase de processo, já em uma entrevista presencial, por exemplo, pode ser interessante falar sobre experiências mais antigas, desde que tenha contexto. Mas o currículo precisa ser mais objetivo e destacar as suas principais qualidades para aquela oportunidade.

Apesar de não haver regra, o recomendável é que o currículo tenha, no máximo, três páginas.

 

Informe a sua formação acadêmica por ordem de importância

Você tem graduação e pós-graduação? Comece pela mais recente. E ao descrever a sua formação, sempre cite o nome da instituição de ensino e data de início e término. Os cursos técnicos e livres devem ser citados quando estiverem relacionados com a vaga pretendida ou objetivo profissional.​

 

Fale das atividades desenvolvidas nas experiências profissionais

Na hora de falar dos locais onde você trabalhou anteriormente, informe o nome da empresa, cargo, período e, principalmente, as atividades e responsabilidades do dia a dia de forma resumida. Essas informações têm muito valor para o recrutador. Se possível, coloque as atividades em tópicos para tudo ficar bem claro.

 

E se eu estiver buscando o primeiro emprego?

Caso não haja experiências anteriores para contar ainda, cite atividades desenvolvidas na faculdade, estágios, cursos práticos e trabalhos voluntários.

 

Como falar do meu nível em idiomas?

Cite o idioma e o nível em que você está. E, antes de tudo, seja verdadeiro. Se o seu inglês é intermediário, nada de arriscar um "avançado" no currículo. Além de não ser correto, você pode ser testado pessoalmente.

Se está fazendo ou já fez algum curso, cite a instituição e a data de início e fim.

 

E como falar das minhas habilidades em informática?

Para grande parte das profissões, a informática básica, como Windows, programas do pacote Office e internet são requisitos muito básicos. Por isso, não é necessário você pontuar que tem essa habilidade no currículo. Você deve destacar o seu nível em programas e softwares que têm relação direta com a sua atividade, pontuando o seu nível ou certificações, caso tenha alguma. Por exemplo: Adobe Photoshop avançado, certificações X e Y.​

 

Extra: cuide do seu Linkedin e da sua imagem nas redes sociais

Além de um currículo atrativo, é preciso tomar cuidado com a sua imagem nas mídias sociais, principalmente no Linkedin, uma rede profissional. Busque fazer contatos saudáveis, participe de grupos de discussão da sua área de atuação, produza e compartilhe conteúdos relevantes. Muitas empresas utilizam as informações das redes sociais como critério de avaliação de um candidato. Lembre-se que os seus perfis na internet são uma representação sua, e não um mundo paralelo.


Fale com a Faculdade Unimed

Entre em contato pela central de atendimento
clicando aqui ou ligue para: 0800 702 1301



ÚLTIMOS POSTS

Há 6 dias

Terapia intensiva, urgência e emergência: que habilidades o médico precisa ter para atuar na área?

LER POST
04/09/2018

4 cursos de gestão na área da saúde que você precisa conhecer

LER POST
03/09/2018

Diretivas Antecipadas de Vontade: o que o geriatra precisa saber sobre

LER POST